Legislativas 2019. UGT pede melhores salários e bons dados macroeconómicos sem obsessão

Carlos Silva de regresso da Finlândia onde se deslocou em representação de Portugal no Comité Económico e Social Europeu, por esse motivo impossibilitado de integrar a delegação da UGT que no passado dia 10, se reuniu com o Primeiro-ministro António Costa, frisou que "a UGT é um parceiro confiável que aposta muito na Concertação Social, no diálogo, na negociação coletiva, no entendimento entre todos os principais atores da sociedade portuguesa".

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, felicitou esta segunda-feira António Costa e o PS pela vitória nas legislativas e pediu melhores salários, defendendo que é preciso estimular a economia através do consumo e sem obsessão com as contas públicas.

“É importante estimular a economia, e é importante estimular a economia também através do consumo. Os trabalhadores precisam de melhores rendimentos (…). Não me canso de dizer, em nome da UGT, [que é preciso] melhores salários”, afirmou Carlos Silva, numa mensagem divulgada no Youtube.

O secretário-geral da UGT frisou que “é importante que o Governo tenha condições de continuar a apresentar um conjunto de bons resultados macroeconómicos, ao mundo e à Europa em particular”, nomeadamente ao nível da redução do défice, defendendo “que essa redução não seja acompanhada com alguma obsessão”.

“Precisamos de reforçar a capacidade da classe média, de afrontar as condições de vida dos últimos anos, o que significa mais rendimento disponível ao final do mês”, frisou Carlos Silva, sublinhando que também é preciso “apoiar as empresas, valorizar o interior, melhorar as qualificações, fazer um bom programa nacional de reformas”, entre outras medidas.

O secretário-geral da UGT pediu também “que o futuro governo não se esqueça de basear uma das premissas principais na Concertação Social, ouvindo os parceiros sociais”, acrescentando que é importante reforçar o diálogo social.

Após felicitar António Costa e o Partido Socialista pela “vitória alcançada”, Carlos Silva frisou que “a UGT é um parceiro confiável que aposta muito na Concertação Social, no diálogo, na negociação coletiva, no entendimento entre todos os principais atores da sociedade portuguesa”.

O PS venceu as legislativas de domingo, sem maioria absoluta, seguindo-se PSD, BE, CDU (PCP/PEV), CDS-PP e PAN.

Outros artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close