COVID-19 e o doente idoso: o que precisa de saber segundo os médicos?

As recomendações são de Paulo Almeida, Sofia Duque e João Gorjão Clara, médicos do Núcleo de Estudos de Geriatria da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna.

O que é a COVID-19?

COVID-19 é a doença clínica causada pelo SARS-CoV-2, vírus descrito pela primeira vez em dezembro de 2019 na China.

Quais são os sintomas?

Em aproximadamente 80% dos casos, o vírus causa infeções respiratórias ligeiras (como constipações).

Menos frequentemente poderá causar pneumonias virais graves com disfunção multiorgânica.

Os seguintes sintomas podem aparecer 2-14 dias após a exposição: Febre; tosse seca; falta de ar; dores musculares; dores de cabeça; e diarreia.

Medidas de prevenção para os idosos?

– Deve lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes.

– Evite tocar na cara com as mãos.

– Na medida do possível, evite tocar em superfícies de alto toque em locais públicos – botões do elevador, maçanetas, corrimãos, apertos de mão com pessoas, etc.

– Se é dextro use mais a mão esquerda e faça o contrário se for esquerdino.

– Use um lenço de papel ou a sua manga para cobrir a sua mão ou o seu dedo, se precisar tocar em algo.

– Evite partilhar objetos pessoais ou comida.

– Tape o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deite sempre o lenço de papel no lixo.

Mantenha-se em casa

– Limpe e desinfete a casa, principalmente as superfícies tocadas com frequência (como mesas, maçanetas, interruptores de luz, torneiras e telemóveis).

– Evite fazer compras diariamente ou frequentar locais com muitas pessoas.

– Se tiver que sair de casa por algum motivo de saúde urgente mantenha sempre o distanciamento social mínimo de 1 a 2 metros.

– Idealmente, procure um familiar ou um vizinho que lhe leve as compras e a medicação a casa, não mantendo qualquer contacto físico com ele.

– Não deixe acabar a medicação. Se necessitar de mais receitas, contacte o seu Centro de Saúde por telefone ou email ou peça a um familiar para o fazer.

– Mantenha-se em contacto com os seus familiares e amigos por telefone.

– Se tiver febre ou dores no corpo, tenha à mão paracetamol que pode tomar até 3-4 gramas por dia.

– Não tome anti-inflamatórios não esteroides (estes medicamentos são inapropriados para os idosos).

– Beba bebidas quentes. Deve beber muitos líquidos, de preferência em bebidas quentes que deve ter sempre preparadas, com mel (se não for diabético), limão, outros sumos, chá, café.

– Alimente-se bem, comendo carne, peixe, ovos e fruta que deve lavar e descascar antes de comer. Não dispense a sopa quente.

– Faça exercício. Não esteja horas sentado. Ande em casa por períodos de mais de 10 minutos 3 vezes por dia ou se possível use uma pedaleira.

– Quando já estiver bem não contacte com outras pessoas durante 14 dias.

– Deverá procurar atendimento médico se sentir: dificuldade em respirar ou falta de ar e/ou dor ou opressão persistente no peito.

Como devem proceder os familiares do idoso?

– Confirme que o seu familiar tem medicamentos e alimentos suficientes a fim de evitar faltas inesperadas.

– Sempre que o contacto físico for indispensável lave cuidadosamente as suas mãos, mas se tiver tosse ou febre não o visite.

– Promova o isolamento social do seu familiar, mas não o abandone.

– Esteja atento à eventual dificuldade de respirar do seu familiar ou às manifestações de alteração do estado de consciência e confusão.

– Se o seu familiar estiver institucionalizado, informe-se do protocolo criado pela instituição e cumpra-o rigorosamente.

As recomendações são de Paulo Almeida, Sofia Duque e João Gorjão Clara, médicos do Núcleo de Estudos de Geriatria da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna.

Outros artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close