ANIVERSÁRIO DE KALIDAZ BARRETO Nasceu em Montemor-o-Novo em 16 de Outubro de 1932

Kalidaz Barreto, nasceu a 16 de Outubro de 1932, em Montemor-o-Novo, distrito de Évora. Filho do pedagogo Adeodato Barreto, de origem Goesa, Kalidaz Barreto tirou o Curso Complementar de Contabilidade e Comércio, em Coimbra, cedo se fixou-se em Castanheira de Pera onde uma sua irmã já exercia a actividade de telefonista na Estação Postal de Castanheira de Pera, o seu primeiro emprego “proposto adjunto de Tesoureiro da Fazenda Pública, tendo paralelamente exercido funções como director comercial em diversas empresas desta região, nomeadamente no ramo da indústria têxtil.

Radicando-se a Castanheira de Pera devido a casamento com uma castanheirense, onde sempre manteve residência, no início da sua actividade profissional ingressou na firma Fernandes & Antunes Ldª, como auxiliar do chefe de escritório Eduardo dos Santos Coelho, na altura também presidente do Sindicato do Pessoal da Industria de Lanifícios, com a sua retirada para junto de familiares radicados a alguns anos no Brasil, Kalidaz Barreto assumiu as funções de chefe da contabilidade, nas primeiras eleições promovidas pelo Sindicato do Pessoal da Industria de Lanifícios foi eleito presidente.

Kalidaz Barreto homem humilde amigo do seu amigo, cedo iniciou a sua actividade política integrando-se no único partido autorizado pelo regime MDP/CDE, com a integração na Comissão de Apoio à candidatura de Humberto Delgado à Presidência da República, em 1958 e organizado a Oposição Democrática em Castanheira de Pera, em 1969.

Após o 25 de Abril de 1974, inscreveu-se militante do Partido Socialista através da sua Federação distrital de Leiria, quando esta se instalava no distrito de Leiria ocupando as instalações distritais da ex-PIDE, já em Castanheira de Pera, se encontrava instalada nas antigas instalações da Escola de Condução Castanheirense, em Volta da Estrada, uma secção concelhia do Partido Socialista, supervisionada por Mário Soares e Engº Tito de Morais, foi membro da Comissão Administrativa do Município de Castanheira de Pera e primeiro presidente eleito da Assembleia Municipal de Castanheira de Pera, em 1976, foi deputado à Assembleia Constituinte, em 1975 pelo Partido Socialista, onde desenvolveu um papel em preponderante defesa dos trabalhadores mais desfavorecidos.

Como Sindicalista, chamado por Manuel Lopes, natural de Castanheira de Pera, para se integrar entre os fundadores da Confederação Nacional dos Trabalhadores Portugueses (CGTP) em 1970, após o que liderou a Organização Sindical de Têxteis do Centro. Foi dirigente nacional da CGTP e conselheiro técnico de Missões Portuguesas à Organização Internacional do Trabalho.

Em 25 de Abril de 2004 foi feito Grande-Oficial da Ordem da Liberdade, por Jorge Sampaio.

Foi provedor do beneficiário do Instituto Nacional para o Aproveitamento dos Tempos Livres (INATEL).

No seu percurso político autor de várias publicações entre as quais:

– Revistas de Costumes Locais, 1958

– Lenda da Princesa Peralta, 1964

– Subsídios para a História do Movimento Operário em Castanheira de Pêra, 1983

– A Organização Profissional dos Trabalhadores Têxteis de Leiria e Coimbra, 1987

– Dr. Manuel Diniz Henriques, 1987

– Monografia do Concelho de Castanheira de Pera, 1989

– Dr. Ernesto Marreca David – o Homem e a Obra, 1993

– Emprego, Modernização e Desenvolvimento, 1996

– Fábrica da Várzea – Projecto de Museu Têxtil em Castanheira de Pera, 1999

– Os Trabalhadores Laneiros do Distrito de Leiria, 2009

– Os Presos políticos de Castanheira de Pera – 1949

– Não Apaguem a Memória, 2009

– Os Deputados de Leiria na Assembleia Constituinte, 1975-1976 (pref. Mário Soares), 2010

– Manuel Lopes de Almeida : um castanheirense na luta pela República em 5 de outubro de 1910, 2011

A sua luta política em Castanheira de Pera, após o 25 de Abril, levou a que existissem duas Associações de Pais, duas Secções do Partido Socialista e duas Comissões Administrativas.

Sempre colaborou com várias publicações entre estas recordamos o “Conta Gostas” (na altura) “Castanheirense” , jornal “A Comarca”, ultimamente com “O Ribeira de Pera”, devido á sua idade deixou essa sua colaboração.

Desde a algum tempo afastado da vida política, tem-se mantido com o apoio e carinho familiar recolhido na sua residência em Castanheira de Pera, com alguma dificuldade de mobilidade e visão surge em curtas caminhadas convivendo com amigos, notando-se algum afastamento de algumas organizações e amigos políticos aos quais muito deu, apesar das divergências politicas ocorridas ao longo da vida com o sempre seu amigo Fernando Correia Bernardo, director de “O Ribeira de Pera”, não esquece essa velha amizade e rivalidade política durante algumas décadas nesta data festiva pelo seu aniversário lhe endereça e deseja as maiores felicidades, para muitos mais anos permaneça entre os seus mais queridos, aproveitando esta data festiva para levantar a voz junto dos que muito politicamente beneficiaram constituírem uma comissão responsável por prestar uma homenagem Kalidaz Barreto, do mesmo modo incentivar o executivo municipal a associar-se aos promotores dessa homenagem promovendo a alteração da toponímia da vila com a atribuição do nome de Kalidaz Barreto a uma artéria local.

No meu entendimento, deve ser em vida que se deve homenagear os que em prol do concelho deram o seu melhor. Não a título póstumo.

Fernando Bernardo

CARLOS SILVA – SECRETARIO GERAL DA UGT FELECITA KALIDAZ BARRETO PELO SEU ANIVERSÁRIO

O facto de me encontrar filiado num sindicato da CENTRAL Sindical UGT e de ser seu Secretário Geral, não poderia nunca ousar esquecer a referência nacional em que se transformou Kalidás Barreto, fruto do seu percurso de vida socio-profissional e sindical, sempre ao serviço dos trabalhadores portugueses, militante e dirigente da CGTP-intersindical.

As divergências de cariz político-sindical são afastadas para dar lugar ao brilho que emana do lutador incansável, defensor da negociação coletiva e do setor têxtil nacional, do provedor da fundação INATEL, do democrata de Abril e da luta contra a ditadura fascista, do apoiante de Humberto Delgado, do amigo e camarada de Mário Soares e de tantas outras figuras do Portugal democrático, do deputado da Constituinte que construiu e aprovou a Constituição da República de 1976, mas também do amigo e apaixonado da Castanheira de Pêra e dos povos da serra da LOUSÃ, dinamizador e defensor da memória de seu pai, escritor, prosador, pensador é Homem de letra grande.

Cumpre-me honrar o Sindicalista Kalidás Barreto neste seu dia de aniversário e associar-me a todos quantos entendam dar o passo para uma homenagem pública a uma vida inteira dedicada à causa pública.

Pois o Kalidás Barreto merece esse tributo de reconhecimento em vida, para sentir que as suas lutas e sacrifícios não foram em vão, mas serviram para reforçar a defesa de quem trabalha e construir muitos dos direitos constitucionalmente consagrados.

Caro Kalidás

Bem haja pela proficuidade de uma vida ao serviço do bem comum Com enorme respeito e merecida consideração e amizade

Carlos Silva
Secretário Geral da UGT
(16/10/2019)

 

 

Outros artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close