Presidente da CM de Castanheira de Pera fez questão de se despedir da equipa do Camião da Esperança no Sabugal, onde amanhã termina o seu périplo, depois de hoje ter estado na Guarda

A presidente da Câmara Municipal de Castanheira de Pera aguardou a chegada do Camião da Esperança ao final da tarde ao Sabugal, a localidade onde amanhã aquela equipa termina o périplo que ao longo de várias semanas realizou milhares de testes à COVID-19 pelo país. Alda Carvalho, que lidera o pequeno concelho do distrito de Leiria, não quis deixar de se despedir e agradecer e o trabalho desenvolvido por esta equipa durante semanas no Interior de Portugal.

Antes, o Camião da Esperança esteve na cidade da Guarda a realizar testes, entre outros, aos colaboradores da CIMA e do Hotel Quinta dos Cedros, em Celorico da Beira, ambas empresas do grupo Fernando Tavares Pereira, num total de 52 testes. O empresário, de resto, que fez questão de participar na iniciativa, oferecendo nos últimos três dias a estadia àquela equipa na unidade hoteleira de Celorico da Beira. “Ajudou-nos imenso, porque esta é uma logística muito pesada e mudar todos os dias de hotel não é fácil”, referiu um responsável da organização Paulo Costa.

Quem também foi convidado a realizar o teste, foi o presidente da Câmara Municipal da Guarda que passou pelo local para elogiar a iniciativa, embora o município egitaniense não tenha sido incluído nos testes do Camião da Esperança. “Temos de valorizar e elogiar esta iniciativa porque nem todos tem recursos para realizar os testes que são muito importantes”, explicou Carlos Monteiro, sublinhando que o município da Guarda só não acedeu a participar porque já está a realizar testes desde 20 de Março.

“Já tínhamos um acordo com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social para testar toda a ULS e a ARS entendessem que deviam ser testados. Posteriormente foi estabelecido um protocolo com um laboratório aqui da cidade, daí que as várias instituições que poderiam estar aqui a realizar testes não o estão a fazer”, frisou, concluindo que “de qualquer maneira tem de se elogiar esta iniciativa que levou esperança onde ela provavelmente não existia”.

Fonte: Correio Beira Serra

Outros artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close